quinta-feira, 27 de outubro de 2016

Nas coisas criadas está impressa a imagem da Sabedoria


Em nós e em todas as coisas está impressa a imagem criada da Sabedoria eterna. Por isso, não sem razão a verdadeira e operante Sabedoria, contemplando nas criaturas a imagem da sua própria natureza, diz: O Senhor Me criou nas suas obras. Deste modo, o Senhor considera toda a sabedoria que há e se manifesta em nós como participação de Si mesmo. 

O Senhor afirma isto de Si mesmo, não porque o Criador seja criado, mas por causa da sua imagem que criou e imprimiu nas criaturas. Assim como o Senhor diz: Quem vos recebe a Mim recebe, porque está impressa em nós a sua imagem, assim também, embora Ele não se possa contar entre as coisas criadas, criou nas suas obras a imagem e semelhança de Si mesmo, e por isso afirma, como se falasse de Si próprio: Deus criou-Me como primícias das suas obras. 

Ora a razão por que nas coisas criadas está impressa a imagem da Sabedoria é para que o mundo reconheça por meio dela o Verbo, seu criador, e por meio do Verbo conheça o Pai. É isto o que ensina Paulo: O que se pode conhecer de Deus é-lhes claramente manifestado; com efeito, Deus lho deu claramente a conhecer. As suas perfeições invisíveis tornaram-se, desde a criação do mundo, visíveis à inteligência por meio das suas obras. Portanto, aquele texto dos Provérbios não se refere ao Verbo, como se fosse criado, mas à sabedoria que se diz estar e está verdadeiramente em nós. 

Mas os que não têm esta fé devem responder-nos a uma pergunta: Existe ou não existe nas coisas criadas alguma forma de sabedoria? Se não existe, porque é que o Apóstolo se lamenta dizendo: Na sabedoria de Deus o mundo não conheceu a Deus por meio da sabedoria? Se não existe sabedoria alguma, porque é que a Escritura menciona tantos sábios? De facto está escrito: O sábio teme e afasta-se do mal e com sabedoria edifica a sua casa. 

Também o Eclesiastes diz: A sabedoria do homem faz resplandecer o seu rosto; e repreende os temerários com estas palavras: Não digas: Porque é que o tempo passado foi melhor que o presente? Semelhante pergunta não é inspirada pela sabedoria. 

Efetivamente nas coisas criadas existe a sabedoria, como declara o filho de Sirac com estas palavras: Ele derramou-a sobre todas as suas obras, sobre todos os seres vivos, e comunicou-a generosamente àqueles que O amam. O que é dado, porém, não é a natureza da Sabedoria, que é em Si mesma indivisível e unigénita, mas só a sua imagem impressa na criação. Sendo assim, porque há-de parecer impossível que a mesma Sabedoria criadora, cuja forma ou imagem se reflectem na sabedoria e na ciência espalhadas pelo mundo, diga em certo modo de Si mesma: O Senhor Me criou nas suas obras? Certamente a sabedoria que existe no mundo não é criadora, mas foi criada nas obras; e por ela os céus proclamam a glória de Deus e o firmamento anuncia a obra das suas mãos.


Dos Sermões de Santo Atanásio, bispo, «Contra os arianos»
(Oratio 2, 78, 79: PG 26, 311, 314) (Sec. IV)