quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Cresçamos na fé e na justiça


Peço-vos a todos que obedeçais à palavra da justiça e em tudo exerciteis a paciência. Esta paciência pudestes vós contemplá-la com os vossos próprios olhos, não só nos bem-aventu- rados Inácio, Zósimo e Rufo, mas também em muitos outros que eram da vossa comunidade, bem como no próprio Paulo e nos outros Apóstolos. Lembrai-vos de que todos estes não correram em vão, mas na fé e na justiça, e se encontram agora no lugar que mereceram, junto do Senhor, com quem também padeceram. Porque eles não amaram este mundo, mas Aquele que por nós morreu e que Deus ressuscitou por causa de nós.
 
Permanecei nestes sentimentos e segui o exemplo do Senhor, firmes e inabaláveis na fé, amando-vos uns aos outros com amor fraterno, conservando-vos unidos na verdade, procedendo reciprocamente com a mansidão do Senhor, sem desprezar ninguém. Quando podeis fazer o bem, não adieis a oportunidade, porque a esmola livra da morte. Sede submissos uns para com os outros, tende no meio dos pagãos um comportamento irrepreensível, de modo a merecerdes ser louvados pelas vossas boas obras e o Senhor não seja blasfemado por vossa culpa. Ai daquele por cuja culpa se blasfema o nome de Deus! Ensinai a todos a viver santamente, como vós mesmos viveis.
 
Estou profundamente contristado por causa de Valente, que foi durante algum tempo presbítero na vossa comunidade e que vive agora esquecido do ministério que se lhe tinha confiado. Por isso vos exorto a que eviteis a avareza e sejais castos e leais. Fugi de todo o mal. Quem não se pode controlar nestas coisas, como irá anunciá-las aos outros? Quem não se abstém da avareza, acaba por ser contagiado pela idolatria e considerado como pagão que ignora o juízo de Deus. Ou não sabemos que os santos julgarão o mundo, como ensina Paulo? 

Por minha parte, nada disto conheci ou ouvi dizer de vós, em cuja comunidade trabalhou o bem-aventurado Paulo, que vos louva no início da sua epístola. Com efeito, Paulo gloria-se de vós perante todas as Igrejas que então conheciam a Deus, quando nós ainda O não conhecíamos.
 
É por isso, irmãos, que estou muito contristado por causa de Valente e de sua esposa. O Senhor lhes conceda o verdadeiro arrependimento. Tratai-os com discrição e não os considereis como inimigos, mas reconduzi-os como membros que sofrem e erram, para que todo o corpo seja salvo. Fazendo assim, edificar-vos-eis a vós mesmos.



Da Carta de São Policarpo, bispo e mártir, aos Filipenses
(Cap. 9, 1 – 11, 4: Funk 1, 275-279) (Sec. II)