quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Apascentarei as minhas ovelhas em boas pastagens




Arrancá-las-ei de entre os povos e as reunirei dos vários países; hei-de reconduzi-las à sua terra e apascentá-las nas montanhas de Israel. As montanhas de Israel são as páginas da Escritura divina. Apascentai-vos nela, se quereis apascentar-vos em segurança. Tudo quanto nela encontrais, saboreai-o bem; tudo o que encontrais fora dela, rejeitai-o. Para não vos perderdes no meio do nevoeiro, ouvi a voz do Pastor. Reuni-vos nos montes da santa Escritura. Aí estão as delícias do vosso coração, aí nada é venenoso, nada é prejudicial; são as pastagens fertilíssimas dos montes de Israel. Vinde, ovelhas sãs; vinde vós somente, e apascentai-vos nas pastagens sadias dos montes de Israel.
 
E ao longo das ribeiras e em todos os prados da terra. Dos montes que vos mostrámos, brotaram os rios da pregação evangélica, quando a sua voz se fez ouvir por toda a terra e, através destes rios da pregação evangélica, espalharam-se por toda a terra os prados férteis e abundantes, onde podem apascentar-se os rebanhos do Senhor.
 
Apascentá-las-ei em boas pastagens e terão o seu redil nos altos montes de Israel, isto é, encontrarão um lugar onde possam descansar e dizer: «Estamos bem aqui; é verdade o que nos disseram; não nos enganaram». E descansarão na glória de Deus, que será o seu redil. E dormirão, isto é, descansarão em agradáveis delícias.
 
E terão abundantes pastagens nos montes de Israel. Já vos falei dos montes de Israel, que são aqueles montes benéficos, para onde levantamos os olhos e donde nos vem o auxílio. Mas o nosso auxílio vem do Senhor, que fez o céu e a terra. Por isso, para que não puséssemos toda a nossa esperança naqueles montes, depois de dizer: Apascentarei as minhas ovelhas nos montes de Israel, acrescentou imediatamente: Eu mesmo apascentarei as minhas ovelhas. Por conseguinte, levanta os teus olhos para os montes, donde te virá o auxílio; mas espera somente n’Aquele que diz: Eu mesmo apascentarei.Porque o teu auxílio vem do Senhor, que fez o céu e a terra.
 
E termina assim: Eu as apascentarei com justiça. Vede como só Ele pode apascentar o rebanho com justiça. De facto, qual é o homem que pode julgar o homem? A terra está cheia de juízos temerários. Aquele de quem perdêramos toda a esperança, dum momento para o outro converte-se e torna-se o melhor de todos. E aquele em quem tanto confiávamos, dum momento para o outro falha e torna-se o pior de todos. Nem o nosso temor é constante, nem o nosso amor é estável.
 
O que é hoje cada homem, dificilmente o sabe o próprio homem. E se de algum modo ele sabe o que é hoje, não sabe o que será amanhã. Só Deus apascenta com justiça, dando a cada um o que precisa: isto a uns, aquilo a outros, a cada qual o que lhe convém; porque Ele sabe o que deve fazer. Portanto, só Ele apascenta com justiça.



Do Sermão de Santo Agostinho, bispo, sobre os Pastores
(Sermo 46, 24-25.27: CCL 41, 551-553) (Sec. V)