Adsense Teste

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Arquidiocese Primaz do México denuncia “gravíssima” intenção política de censurar a Igreja


Padre Hugo Valdemar, porta-voz da Arquidiocese Primaz do México e diretor do semanário ‘Desde la Fe’, qualificou de “gravíssima” a tentativa do presidente da Câmara de Deputados, Jesus Zambrano Grijalva, de censurar a Igreja Católica no debate público pelo casamento gay.

“É muito grave que o Presidente da Câmara de Deputados chame o governo da República à repressão contra uma instituição que somente exerce dois direitos fundamentais: o de expressão e o da liberdade religiosa”, assinalou o Pe. Valdemar em uma recente entrevista publicada pelo semanário ‘Desde la Fe’.

Em declarações ao jornal ‘El Universal’, em meados de agosto, Jesus Zambrano Grijalva, do Partido Revolucionário Democrático (PRD), exigiu à Secretaria do Governo (SeGob) que sancione a Igreja Católica pelas repetidas críticas dos bispos mexicanos a intenção do Presidente do México, Enrique Peña Nieto, de legalizar a nível nacional o casamento gay com uma reforma constitucional.

Peña Nieto também procura legalizar em todos os estados do México a adoção gay, modificando o Código Civil Federal.

Zambrano Grijalva disse que a Igreja Católica “está entrando em terrenos que não lhe corresponde” e que “não falta nada para que agora mandem as instituições ao diabo, da Arquidiocese Primaz do México”.

Para o Pe. Hugo Valdemar, com suas declarações, a única coisa que Zambrano Grijalva está fazendo “é denegrir a Câmara de Deputados que preside, pois esta deve ser um local aberto para o diálogo e a conciliação de ideias, não para a repressão das mesmas”.

“Mas não temos que achar estranho, porque mais que como Presidente dos Deputados, falo como perredista, partido que foi um grande inimigo da Igreja e cuja agenda política procura destruir as famílias com iniciativas a favor da morte, como o aborto, dar as crianças em adoção aos casais homossexuais, legalizar a maconha e outras drogas contra o desenvolvimento integral dos jovens, etc., e deste modo, mediante a promoção de uma agenda que acabará destruindo a sociedade mexicana”, disse.

O porta-voz da Arquidiocese do México criticou a reduzida visão que o presidente da Câmara de Deputados tem sobre a Igreja, que “não é somente a hierarquia, ou seja, os bispos e os sacerdotes”.

A Igreja Católica no México, explicou o Pe. Valdemar, “é formada por mais de cem milhões de batizados. Portanto, se alguma legislação afeta os nossos fiéis, as suas famílias, as crianças, o futuro do país, os bispos e sacerdotes não podem ficar mudos”.

O presidente da Câmara de Deputados criticou também a Igreja por “atos de pederastia de sacerdotes católicos, que ainda não foram sancionados”, e o Pe. Valdemar respondeu: “Eu posso responder pela Arquidiocese do México e nós não temos essa dívida”.

“Os poucos casos que tivemos foram atendidos, colaboramos com a autoridade civil e não houve ocultação nem negligência; de modo que esta menção é totalmente equivocada, assim como todas suas declarações concedidas à imprensa nesta semana”, concluiu.
___________________________________
ACI Digital