Adsense Teste

segunda-feira, 30 de maio de 2016

Comissão da OAB convoca reunião extraordinária para discutir ato com objeto religioso realizado na UFC


A comissão de Liberdade Religiosa da Ordem dos Advogados do Brasil -OAB, secção Ceará, deliberou  para que fosse realizada uma reunião extraordinária nesta terça-feira, dia 31, às 16h,  onde será apreciado o primeiro pedido de providências que duas advogadas fizeram à Comissão em face de uma peça apresentada na Universidade Federal do Ceará -UFC, em que um ator semi-nu faz um corte em si e derrama o sangue sobre uma imagem de Jesus Cristo.

O blog conversou com o presidente da comissão, o advogado Robson Sabino. “Na reunião, será analisada a atitude do ator e se encontra amparo em seu direito a Liberdade de expressão ou se este limite foi ultrapassado, e a imagem de Jesus Cristo, expressão de Fé de milhares de cristãos foi vilipendiada”.

Ainda segundo o advogado, “algo que deve ser debatido e analisado seria a razão da imagem de Jesus Cristo na Peça. Não se pode chamar atenção às custas das crenças das pessoas. Um fato que chamou atenção foi a reapresentação da peça, mesmo após críticas, noutro espaço público”.

 
“Para muitos cristãos a imagem nada representa, entretanto de uma maneira geral, a escolha de Jesus Cristo foi para chocar, tanto que tem trazido inúmeras críticas na internet”. O presidente da comissão rechaça as supostas ameaças sofridas pelo ator. “A Comissão repudia as ameaças que o ator alega ter sofrido e espera que sejam apuradas e os responsáveis punidos. Ainda que se considere que o autor agiu com intolerância, existem meios legais para que haja apuração e punição, se for o caso“.

Na opinião de Robson Sabino, “o Brasil é o país que tem menos restrições governamentais no mundo com relação a liberdade religiosa. Infelizmente, a intolerância tem crescido consideravelmente. A peça, da forma como foi proposta, em nada contribui para a cultura de paz que a sociedade deseja disseminar. A tolerância e o respeito ao sentimento religioso das pessoas deve ser respeitado e protegido pelo Estado que deve atuar com firmeza na apuração de situações que possam aumentar conflitos ou causar violência. Não se consegue respeito com desrespeito. Precisamos combater a intolerância em seu mínimo grau para que não se torne endêmica”.

A Comissão de Liberdade Religiosa, única comissão que tem a liberdade em seu nome, “espera contribuir para uma sociedade mais justa e tolerante e que a liberdade seja protegida e tenha por limite apenas o respeito ao próximo”, finaliza o advogado. Os interessados, especialmente os que se sentiram atingidos, são convidados. Local: Rua Livio Barreto, 668, Dionisio Torres.
______________________________________
Ancoradouro