Adsense Teste

quinta-feira, 28 de abril de 2016

RJ: Arquidiocese lança campanha Rio se Move


No ano dos Jogos Olímpicos, a Arquidiocese do Rio de Janeiro realizou o lançamento da campanha “Rio se Move”, uma parceria com diversas instituições alemãs, no dia 26 de abril, na sede do projeto “Se Essa Rua Fosse Minha”, em Laranjeiras. A iniciativa tem como objetivo dar maior visibilidade a alguns programas existentes na arquidiocese que atuam em benefício daqueles que sofrem exclusão social, presente na dinâmica dos grandes eventos.

Durante o lançamento, o secretário-geral da Conferência dos Bispos do Brasil (CNBB), Dom Leonardo Ulrich Steine, destacou que a parceria é uma oportunidade de fazer com que os grandes eventos possam alcançar as pessoas que estão à margem da sociedade, de forma que, ao renovar as esperanças, esse possa ser um tempo novo para o povo carioca.

“O projeto ‘Rio se Move’ é a parte brasileira de uma iniciativa que nasceu na Alemanha chamada ‘Rio nos Move’. Junto a várias instituições de caridade, esse projeto percebeu as necessidades de nosso povo e colocou jovens e adultos à disposição para nos ajudar. Ao encontrar eco em nossa cidade, nós também fazemos parcerias. Chama-se ‘Rio se Move’ porque é a cidade se movimentando em prol dos seus. A CNBB, a Conferência dos Religiosos do Brasil e a ArqRio estão unidas a essas instituições alemãs para falar, pincipalmente, de um legado mais humanizado, de forma que os grandes eventos, como os Jogos Olímpicos e Paralímpicos, realmente possam chegar ao coração da nossa gente, incluindo, educando, dando mais expectativas e esperanças de que este evento que vai passar vai deixar um tempo novo na cidade”, destacou.

Evangelização e os Jogos Olímpicos

De acordo com o Cardeal Orani João Tempesta, por conta dos Jogos a cidade se tornou uma vitrine para o mundo e não pode deixar passar a oportunidade de evangelizar. O arcebispo ressaltou que a Igreja está atenta e busca estabelecer diálogos e pontes com os grupos envolvidos.

“Sabemos que o mundo dos esportes é um campo, ao mesmo tempo, fértil e aberto para a evangelização. O Rio de Janeiro vai receber esses grandes eventos esportivos, e a arquidiocese não pode se omitir diante da responsabilidade de fazer com que o Evangelho seja anunciado e os legados humanos e sociais se destaquem. Ao longo do século passado e também deste, pontífices e clérigos expressaram essa ligação por entenderem o esporte como uma importante ferramenta de promoção de bons valores à sociedade. É a primeira vez que uma cidade da América do Sul recebe tal evento. Isso fez de nossa cidade uma vitrine para o mundo, com seus elogios e críticas. A Igreja do Rio está atenta e procurando estabelecer diálogo e ponte com todos os grupos envolvidos, às vezes com sucesso, outras nem tanto”, ressaltou.

O cardeal ainda contou que na Vila Olímpica, local onde os atletas ficarão alojados, será feita uma ‘capelania’ inter-religiosa, na qual todas as religiões terão espaço. As pessoas também serão acolhidas nas paróquias próximas à região, e haverá celebração de missa em diferentes idiomas. Ele ainda lembrou que, durante a Jornada Mundial da Juventude, em 2013, o Papa Francisco abençoou, pela primeira vez na história as bandeiras Olímpica e Paralímpica no Santuário do Cristo Redentor, fortalecendo ainda mais os laços entre a evangelização e o mundo dos esportes.

Em 2012, ao final dos Jogos de Londres, a arquidiocese recebeu dois símbolos: a cruz Olímpica e o ícone da paz. Tais sinais vão marcar a presença da Igreja nos grandes eventos esportivos mundiais.

Atividades do Rio se Move

No dia 21 de maio será realizado o encontro “Esporte e Paz”, na Lagoa Rodrigo de Freitas, com o objetivo de manifestar publicamente o compromisso de diferentes atores da sociedade civil na prática do esporte, junto a escolas católicas e a comunidades religiosas, no caminho de promoção da paz. Já no dia 23 de junho, acontecerá o congresso “O esporte como promotor da Paz e do Desenvolvimento Humano”, no Museu do Amanhã, cujo objetivo é ser instância de reflexão, promoção e compromisso para os legados que permanecerão após os Jogos Olímpicos.

Nesta data, haverá também a premiação da Medalha de Valores, que vai homenagear pessoas promotoras da solidariedade por meio da doação na Alemanha. A campanha visa incentivar valores que muitas vezes estão imbuídos da cultura do esporte, mas não ultrapassam a barreira dos Jogos para se instalarem como cultura local. Na ocasião, também será construída a carta conjunta na intenção de um maior legado humano e terá início a contagem regressiva para o evento “100 dias de Paz”, que será realizado entre os dias 5 de agosto e 18 de setembro, na Paróquia São Marcelino, na Barra da Tijuca.

Para esse evento, 200 jovens formados pela Comunidade do Caos à Glória atuarão durante os sete finais de semana dos períodos olímpico e paralímpico, evangelizando turistas em vários idiomas em diversos pontos da cidade.



Priscila Xavier
priscila@testemunhodefe.com.br
_____________________________________________
Arquidiocese do Rio de Janeiro