Adsense Teste

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Semelhanças entre o Islamismo e o Protestantismo.


O Protestantismo e o Islamismo são dois perigos para a humanidade. Há semelhança do islamismo com o protestantismo. Muitos não sabem que o Islamismo está sempre exercendo uma influência sobre o protestantismo, e os dois têm muitas semelhanças.

No Islamismo é somente o Alcorão. No Protestantismo é somente a Bíblia.

Aos 40 anos de idade o anjo Gabriel aparece a Muhammad, ordenando que recitasse uma mensagem divina (o livro sagrado) e estas revelações continuaram por 23 anos até a morte de Muhammad no ano 632 d.C. No protestantismo as seitas surgem muitas vezes através de “revelações divinas” com doutrinas contraditórias como se Deus fosse contraditório.

A intolerância religiosa é comum no protestantismo e no islamismo.

No islamismo movidos por ódio, falso zelo, fanatismo religioso, praticam a iconoclastia, ou seja perseguição aos católicos com destruição de imagens sagradas de igrejas católicas ou não. No protestantismo, também movidos por ódio e falso zelo, muitos pastores incitam os seus fiéis a fazerem o mesmo contra a igreja Católica, como é comum se ver nas redes sociais e páginas policiais.

Em relação às imagens, é muita hipocrisia essa perseguição contra os católicos e religiões de origem africanas, haja vista que muitas igrejas evangélicas usam imagens. Fica a pergunta: por que então não se vê um protestante quebrar imagens de outras igrejas protestantes? A resposta: intolerância contra a Igreja Católica Apostólica Romana.

No islamismo, a religião é imposta aos que não são da mesma crença. Uma imposição com mortes e perseguição. No protestantismo não há diferença porque os protestantes surrupiaram sob sangue derramado, todos países ricos antes católicos. É sabido que os saqueadores sempre gananciam as coisas de maior valor de suas vítimas, nem que para isso as exterminem. Tal procedimento histórico praticado pelo protestantismo.

Há muitos outros países ricos que continuam católicos, como o Canadá, Suíça, Austrália, Itália, França, Irlanda, Bélgica, etc., que muito enganador protestante omite porque não os conseguiu surrupiar.

Todos os países ditos “protestantes e ricos”, já eram ricos e católicos antes do protestantismo ser fundado no século 16 e confiscá-los. O povo foi obrigado a “engolir” o protestantismo porque os reis e príncipes cobiçavam as terras e bens materiais doados pelos católicos à Igreja. Prova isto o fato de que as primeiras providências eram recolher ao fisco real, tudo o que da Igreja Católica poderia se converter em dinheiro. Daí veio a “riqueza” protestante. Os reais países colonizados pelos protestantes continuam pobres, miseráveis ou na semi-barbárie, são eles a África do Sul, Índia, Nigéria, Botswana, Jamaica, Bahamas, Guiana e São Vicente e Granadinas. Por que os protestantes não os enriqueceram? Os protestantes eram tão incapazes que sequer se esforçaram para evangelizar o povo destes países, parecem ter surgido apenas para implicar com a Igreja Católica. A grande Índia, por exemplo, foi abandonada por eles, e seu pobre povo continua a ser entregue aos diversos deuses pagãos. Isso sempre é omitido pelos protestantes que preferem fazer cultos arruaceiros dentro de ônibus e metrôs dos países católicos.

Vale a pena fazer um estudo sobre a inquisição protestante e esclarecer sobre a danosa e tenebrosa chegada do protestantismo ao Brasil marcado com carnificina, intolerância, vandalismo e destruição que promoveram para implantar o protestantismo.
Nos costumes também há semelhanças: no Islã as mulheres se vestem com os seus véus e roupas compridas que cobrem praticamente todo o corpo, pois para o Islã não só no momento da oração, mas também em todos os momentos, a mulher deve cobrir “o corpo todo”, “com exceção do rosto, das mãos e dos pés” [quando estiver orando] e não deve “usar roupas transparentes ou apertadas que marquem o corpo”. Por exemplo, as mulheres que frequentam seita “igreja” Evangélica Assembleia de Deus dos últimos Dias, também se vestem de forma semelhante pois vestem “os chamados ‘roupões’ (vestidos longos que não delineiam o corpo feminino) “revelados” pelo Espírito Santo de Deus e aprovado pelas santas do Senhor, da mesma forma que no Islã as mulheres escondem seus cabelos, nesta denominação os cabelos das mulheres também ficam escondidos pois “os cabelos devem ser presos em coque, para não serem usados como instrumentos de vaidade ou atrair os homens.”

Por causa de sua fé os seguidores do Islã não podem ter em suas casas nenhum cachorro, pois “os anjos não entram na casa daqueles que têm cachorro e estátuas.”, segundo a suas crenças. Encontra-se uma forma radicalizada deste pensamento na doutrina da Assembleia de Deus dos Últimos Dias, não com o temor dos anjos não entrarem na casa, mas destes animais de estimação serem uma porta de entrada para espíritos malignos, então não é permitido a criação de nenhum tipo de animal, qualquer espécie ou tipo de bichinhos de estimação (pelúcia). Isto se dá aos animais serem seres irracionais, incapazes de se defenderem de ataques de espíritos malignos, trazendo males como enfermidades, dissensão, improsperidades e etc, nem mesmo é permitido o uso de plantas em vasos, porque as plantas também possuem vida e estariam presas em vasos. Pois também há possibilidade dos espíritos maus se esconderem nas tais, como nos animais. Conforme o pensamento dessa seita.

Uma das obrigações de todo o muçulmano é jejuar durante o mês do Ramadan, este deve “abster-se, desde o raiar da aurora até o pôr-do-sol, da ingestão de qualquer espécie de alimentos e/ou bebidas, assim como fumar e fazer sexo, ou seja o jejum no Islã tem dia e hora marcada para ser realizado, querendo ou não o muçulmano terá que fazer pois se não fizer terá a seguinte punição: libertar “um escravo, ou que faça jejum durante 60 dias seguidos para cada dia não jejuado, ou que dê de comer a 60 pessoas pobres”. Ocasionalmente a Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB), convoca as suas igrejas filiadas para a “Semana Nacional de Oração e Jejum”, o qual todos os evangélicos desta seita devem orar e jejuar por um motivo preestabelecido e em muitas igrejas aqueles que se recusam a jejuar, enfrentam a reprovação de seu líder e de sua comunidade.

A ala mística do Islamismo é representada pelos sufis que seguem todas as regras do Islã, mas que almejam um contato mais íntimo com Deus através de “devoções e práticas meditativas e espirituais”, os sufis ficam rodopiando até entrar em transe e assim ter este contato íntimo. Em muitas seitas “igrejas” evangélicas é cena comum ver membros “cheios do Espírito Santo” rodopiando de forma semelhante parecendo que está em terreiro de macumba.

Todos sabem que no islamismo existe a extrema direita e extrema esquerda.
Também não é novidade que no protestantismo, encontra-se extremas semelhanças entre a direita e a esquerda como no Islam. Enquanto um lado interpreta as Escrituras de uma forma, o outro a entende de modo contrário.

Cada doutrina ensinada por uma igreja protestante é negada por outra como por exemplo:

O inferno existe, o inferno não existe;
Divorciar, não divorciar;
Batizar crianças, não batizar as crianças;
Consagração de pastoras, não consagração de pastoras;
Jesus Cristo é Deus, Jesus Cristo não é Deus;
Observar o sábado, observar o domingo; etc..
Em resumo: uma babel, uma bagunça!

A doutrina protestante é divergente, exceto no básico, que Deus existe. 
Então qual a raiz do problema? Jesus Cristo ensinou somente Uma Verdade? Ou não?

Palavras de Lutero:

“Este não quer o batismo, aquele nega os sacramentos; há quem admita outro mundo entre este e o juízo final,quem ensina que Cristo não é Deus; uns dizem isto, outros aquilo, em breve serão tantas as seitas e tantas as religiões quantas são as cabeças” (Luthers M. In. Weimar, XVIII, 547 ; De Wett III, 6l ).

Para o protestantismo, é a Torre de Babel novamente!

O Protestantismo e o islamismo são medonhos, melancólicos, sombrios, alarmantes, apavorantes, arrepiadores e arrepiantes, assombradores e assombrosos, atemorizantes, intimidantes, temíveis e terríveis.

O fim do protestantismo e do islamismo será vergonhoso e terrível, acabarão pior do que as milhares de seitas gnósticas que se diziam as guardiãs da verdade no tempo da igreja primitiva, levando seus seguidores pouco a pouco ao ateísmo e a loucura.

_____________________________________

Texto extraído da web por uma leitora identificada como Emanuelle.