Adsense Teste

sábado, 13 de fevereiro de 2016

Biografia e convite de Ordenação Diaconal do Seminarista Ayrton Frank na Arquidiocese de São Luís


Ayrton Frank Castro Pinheiro nasceu na cidade de Viana, no dia 17 de Junho de 1986, e é o quarto filho de Clenair Castro Pinheiro e Armando Pinheiro Filho (In memoriam) cursou o Ensino Fundamental nas escolas Prof° Antônio Lopes, Princípe da Paz e CAIC. Vindo para São Luis para concluir o Ensino Básico no CEM Barjonas Lobão. Foi batizado no dia 01 de Outubro de 1989, recebeu a Primeira Eucaristia no dia 13 de Maio de 1999, na Paróquia Nossa Senhora de Fátima, em Viana-MA e a Confirmação em Maio de 2006, na Paróquia Nossa Senhora de Nazaré, Cohatrac, já em São Luís. Participou do grupo de Liturgia exercendo os ministérios de leitor e da Acolhida na mesma Paróquia onde recebeu a crisma. Ingressou no Seminário Menor São João Maria Vianney no dia 10 de fevereiro de 2006, sendo acompanhado pelo Padre Clemilton Moraes enquanto se preparava para o vestibular. Nesse mesmo período chegou a cursar o segundo período de Comunicação Social com habilitação em Radio e TV na Universidade Federal do Maranhão.

Em 2007 ingressou no seminário Santo Antônio onde cursou Filosofia no IESMA e teve como reitores o até então Pe. Benedito Araújo (atualmente bispo de Guajará Mirim) e o Padre Clemilton Moraes. Por ocasião da divisão das casas de Formação em 2008 passou a residir no Seminário Maior de Filosofia São João Maria Vianney, tendo por reitor o padre Antônio José Ramos Costa. Em 2010 ingressou no Seminário Maior de Teologia na Igreja de São Pantaleão e teve por reitor o padre Orlando Ramos.

Durante o período de formação fez estágio pastoral nas paróquias Nossa Senhora de Nazaré (comunidade Itapiracó), Nossa Senhora Aparecida do Munim - Morros, Sagrada Família – Maiobão, Espírito Santo – Parque Timbira (Comunidade Bom Jesus), Nossa Senhora da Boa Viagem – Matinha (Km 11) e Nossa Senhora da Penha – Anjo da Guarda. Admitido às Ordens Sacras no dia 27 de Abril de 2015 juntamente com os seminaristas James Serrão e Danilo Fontinele, e no dia 19 de Outubro do mesmo ano, recebeu o ministério de Leitor e Acólito no Seminário São João Maria Vianney - Cohatrac 

“Eis o meu servo que eu sustento” (Isaías 42,1)

O lema é tirado do primeiro dos quatro cantos do servo de IHWH pelo fato de a data da Ordenação Diaconal se fixar nas proximidades da Semana Santa, onde na Igreja se lê na íntegra estes quatro cantos que retratam um homem admirável que chega a aceitar o sofrimento e a morte para salvar os outros.

No versículo, a palavra “servo” é entendida não no sentido de escravo, mas como título honorífico. Ele é um ministro do Senhor para um projeto a ser implantado. Nas Sagradas Escrituras esse título é aplicado a Abraão, Moisés, Davi e aos profetas.

Apresentado solenemente pelo próprio Deus, a figura emblemática do servo tem uma missão clara: cabe a ele anunciar um tempo de graça e esperança. De fato, ele não joga fora a cana rachada, nem apaga o pavio que ainda fumega (Is 42,3). É alguém que vai conscientemente ao encontro das consequências de seu ministério (Is 50,5) certo do apoio de Deus e da vitória, na humilde confiança n’Aquele que o sustenta e mantém a sua missão.

Em Cristo realiza-se a figura deste servo por excelência, ele é a presença de vida e da graça em um mundo morto (Is 53, 2a). Sua doação é total e dócil, como a do cordeiro sacrifical, o que o espera é a morte e a sepultura. Mas a morte não é a foz definitiva de sua vida. Ao contrário, da sua morte fez brotar o mistério da fecundidade. No fim o servo contempla a luz e sacia-se da intimidade divina, assume o sofrimento do povo e reconcilia a humanidade com Deus. (Is 53, 10). Portanto,  “O ofício de Diácono é o próprio ministério de Jesus Cristo”, como afirma Santo Inácio de Antioquia. Ele é o servo que nos chama a  fazer de nossa vida um serviço a Deus nos irmãos. 


Ayrton Frank Castro Pinheiro

Seminarista da Arquidiocese de São Luís