Adsense Teste

sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

Bíblias queimadas, uma igreja incendiada. As marcas do ódio aos cristãos paquistaneses


No Paquistão, o ódio aos cristãos, que são uma minoria religiosa, parece não ter limites. Durante a semana passada, um grupo de muçulmanos sequestrou uma jovem cristã, outro queimou uma pilha de Bíblias e livros litúrgicos em uma igreja; e, na região do Punjab, queimaram uma igreja protestante.

O Paquistão é o terceiro maior país muçulmano do mundo e onde ocorrem muitos atos de discriminação contra as minorias religiosas, especialmente os cristãos.

Jovem cristã sequestrada

No bairro cristão de Kasur, uma jovem de 18 anos que se encontrava sozinha em casa foi raptada por um grupo de muçulmanos. Os pais da jovem apresentaram queixa contra os sequestradores e contataram Sardar Mushtaq Gill, um advogado cristão perito nos casos de violência e sequestro, que decidiu assisti-los gratuitamente.

Gill também é diretor da ONG Lead (Legal Evangelical Development Association – Associação Legal de Desenvolvimento Evangélico), cuja missão é “assinalar o problema das conversões forçadas às autoridades, apoiando uma legislação correta” neste campo.

O advogado disse à agência vaticana Fides que “frequentemente, mulheres de minorias religiosas são levadas e os sequestradores ficam impunes porque não existe uma normativa no campo da conversão forçada”.

Segundo dados das ONGs, a cada ano, são sequestradas no Paquistão cerca de mil meninas cristãs ou hindus. 

Bíblias queimadas

Na Victory Church, localizada também no Kasur, um jovem de 26 anos identificado como Azher Mohammad Akbar foi detido por queimar Bíblias e outros livros de orações e hinos cristãos.

A igreja costuma ser aberta todos os dias às 5:00 por John Masih e sua esposa Sadiqa Bibi, encarregados da limpeza. Há alguns dias, Sadiqa viu que saía fumaça das portas e viu o jovem dentro do recinto. Chamou seu marido e outros cristãos que, ao chegar, viram o rapaz queimando as Bíblias e os livros dos hinos. Eles fecharam a igreja e chamaram a polícia.


O jovem foi detido e levado à delegacia. Conforme informe da polícia, Mohammad Akbar saiu de casa há anos e é um paciente com problemas psicológicos. Disseram que ele não tinha planejado queimar as Bíblias; entretanto, será enviado a prisão preventiva.

Igreja queimada

Na cidade de Bath, também no Punjab, um templo da “Igreja Apostólica” foi incendiado por desconhecidos na noite de 6 para 7 de janeiro, logo depois de os membros deste grupo celebrarem uma vigília pela Epifania.

O pastor Zulfiqar, dirigente da comunidade, apresentou uma denúncia policial. No sinistro, foram perdidas Bíblias e outros objetos que se utilizavam para o culto.

Zulfiqar também expressou à Fides que anteriormente houve uma disputa com os muçulmanos porque estes queriam que os cristãos desligassem os autofalantes que difundem orações e hinos sacros fora do edifício, porque estava os incomodando na hora de suas rezas islâmicas.

Os cristãos locais estão convencidos de que estes muçulmanos foram os que queimaram a igreja, embora não haja evidência a respeito e a polícia ainda esteja investigando os fatos.
__________________________________________

ACI Digital