Adsense Teste

terça-feira, 1 de dezembro de 2015

Pedagogia Litúrgica para o mês de Dezembro de 2015: "Feliz e santo Natal! Paz e alegria!"


Em meio as correrias de Dezembro, a Liturgia manda-nos um convite para serenar nossos corações iniciando nossa preparação para o encontro com o Senhor, seja pela vigilância, nos dois primeiros Domingos do Advento, seja pela alegria da proximidade do Natal, nos dois outros Domingos do Advento. Um convite especial, digamos, por um motivo importante: o início do Ano Santo da Misericórdia, no dia 8 de dezembro. Além disso, a Liturgia nos presenteia com a grande celebração da Salvação, festejando a alegria do Santo Natal de Jesus Cristo.

Preparai o caminho para o encontro com Senhor, no final dos tempos

Com as mesmas luzes do 1º Domingo do Advento, que foi celebrado no último Domingo de Novembro, O 2º Domingo do Advento favorece a preparação espiritual da abertura do Ano Santo da Misericórdia, no dia 8 de dezembro, dois dias depois deste Domingo. Como o povo que recebeu a missão de testemunhar a misericórdia divina, pela libertação, a celebração do 2º Domingo do Advento envia os celebrantes a participar da mesma missão: testemunhar e concretizar a misericórdia divina no meio da sociedade de nossos dias. Testemunhar que Deus é misericordioso e concretizar a misericórdia sendo misericordiosos como Deus é misericordioso.

Com este 2º Domingo do Advento as “celebrações vigilantes”, iniciadas com as últimas celebrações do Tempo Comum, cedem espaço ao contexto da preparação próxima do Natal, no 3º e 4º Domingos do Advento.
  
Alegrai-vos sempre no Senhor; Ele está perto.

No 3º Domingo do Advento, a alegria toma conta da celebração para fortalecer os corações vacilantes para encorajar diante das dificuldades que a vida nos leva a deparar. Trata-se, pois, de uma alegria que revigora a alma dos celebrantes pela paz e pela força que somente Deus pode dar. Neste sentido, vale a pena perceber que João Batista não pede práticas ascéticas, nem ritos especiais ou orações poderosas; pede apenas uma mudança de coração que consiste em evitar a corrupção, não ser injusto, e o afastamento da violência. Este é o melhor modo de se preparar para o Natal e crescer na fidelidade do discipulado.

Quem viveu isto de modo intenso e exemplar foi a Virgem Maria, a “Bendita entre as mulheres”. A alegria espiritual, a alegria interior é percebida no coração de Maria de modo claro. A intenção que Lucas deixa transparecer, no Evangelho do 4º Domingo do Advento, é evidenciar como Isabel e Maria, mulheres pobres e mulheres que viviam no meio do povo, estão unidas pelo mesmo desígnio divino. A visita de Maria evidencia a força da fé, proclamada pela acolhedora Isabel: “bem-aventurada aquela que acreditou, porque será cumprido o que o Senhor lhe prometeu”. É aqui que nos deparamos com um grande segredo da espiritualidade do Natal: tornar-se um bem-aventurado crendo que o Senhor visita o seu povo na mais completa pobreza, como evidenciado no quadro da visitação de Nossa Senhora à sua prima Isabel. Pobreza que, aqui, não significa miséria, mas que rima com simplicidade, com humildade e com ternura. Virtudes de um coração alegre e cheio de paz por não estar apegado aos bens materiais.  

Natal de Nosso Senhor Jesus Cristo

A celebração do Natal do Senhor, neste ano de 2015, reveste-se com as vestes da misericórdia divina, como já mencionado acima. Um Natal celebrado e vivenciado no contexto do Ano Santo da Misericórdia. Uma luz, esta da misericórdia, que nos ajuda a considerar e a refletir o Natal de um modo novo, contemplando a Encarnação de Jesus como um imenso ato da misericórdia divina em favor da humanidade. O Natal celebra o nascimento de Jesus Cristo como a luz da divina misericórdia, que brilhou na terra para dissolver a escuridão do pecado.

A luz e as luzes do Natal de Jesus Cristo não se comparam às luzes que o comércio e a mídia acendem de modo passageiro e pontual para, tão logo passe o Natal, serem retiradas. Trata-se de uma luz que nasce no Presépio, ilumina o coração de quem o acolhe e continua acesa por toda vida. Por isso, a condição indispensável para entrar na espiritualidade do Natal é assumir a atitude de Maria: silenciar e recolher todos os fatos do Natal no coração, permitindo a Deus acender sua luz em nossas vidas. Feliz e Santo Natal!

Família, fonte de vida e de santidade

Neste ano de 2015, que tanto celebrou, refletiu e professou a confiança na família como caminho para uma sociedade mais justa, a celebração deste Domingo se reveste de um caráter muito especial: contemplar na Sagrada Família um modelo de família que quer encontrar-se novamente com Jesus. Um convite feito especialmente àquelas famílias que, a exemplo de José e Maria, perderam Jesus em algum lugar e precisam reencontrá-lo. Um modelo para tantas famílias que, no vai e vem da vida, peregrinaram por caminhos estranhos, perdidos de Deus e perdendo o próprio Deus. Uma celebração para fechar o ano com o propósito de agradecer pelo dom da família ou para recuperar a família que ainda vive juntos, plantando mais amor e procurando colher a paz e a alegria que só a família pode oferecer.



Serginho Valle
__________________________________________

Serviço de Animação Litúrgica