Adsense Teste

quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

248 horas de adoração eucarística e reparação pela profanação de Pamplona


A perpétua Adoração Eucarística da Diocese de Alcalá dos Henares convocou 248 horas (mais de dez dias) de adoração eucarística em reparação à profanação cometida por Abel Azcona, usando hóstias consagradas para uma exposição em Pamplona.

Comunicado sobre a Adoração Eucarística Perpétua 
na Diocese de Alcalá de Henares

Nos últimos dias de novembro os católicos da Espanha têm vivido com dor a profanação pública da Santa Eucaristia em um salão de exposições da cidade de Pamplona. O autor de tal profanação foi a 248 missas em que, simulando receber a Sagrada Comunhão, roubou e guardou para uso em sua obra consagrada “Hosts”. As Sagradas espécies eucarísticas foram expostas ao público jogadas no chão formando a palavra "pedofilia".

De acordo com um comunicado da imprensa, um cidadão anônimo indignado com esta terrível verdade, entrou no salão de exposição, removeu as espécies eucarísticas e as levou para uma paróquia onde foram reservados no Tabernáculo.

Agradecemos ao Senhor por essa pessoa e lhe pedimos para recompensá-lo com todo o amor do seu Sagrado Coração por esse ato de fé no sacramento da Eucaristia. Da mesma forma pedimos ao Senhor pela conversão de Abel Azcona, autor da profanação e para todos os pastores e fiéis da Igreja, que esse ato deplorável nos ajude a olhar com mais cuidado a distribuição e a recepção da Sagrada Eucaristia.

O Arcebispo de Pamplona-Tudela em uma declaração de 24 de novembro, disse:

Condeno fortemente este acontecimento doloroso que constitui um ataque contra a fé da comunidade católica dos fiéis desta Arquidiocese e de todos os católicos. Um católico que comete tal ato incorre em excomunhão imediata reservada à Sé Apostólica, como indicado no Código de Direito Canônico, cân. 1367, que afirma: "Quem derramar as espécies consagradas ou as tira ou mantém-nas para uma finalidade sacrílega, incorre em excomunhão latae sentenciae reservada à Sé Apostólica”. 

O Arcebispo de Pamplona-Tudela, Mons. Francisco Pérez González, agradeceu a todas as manifestações diocesanas e em outros lugares pelo ato de profanação feito pelos fiéis.

Por sua vez informou e convidou todos à missa de reparação que foi realizada na quarta-feira 25 de novembro às 19 horas nas catedrais de Pamplona e Tudela.

Na Adoração Perpétua de Alcalá estamos totalmente unidos a reparar Pamplona, ​​como católicos e como adoradores, mas também pela nossa própria história ligada ao milagre das Santas Espécies que permaneceram intactas mesmo após terem sido profanadas.

Como um ato de reparação, peço a todos os fiéis:

Fazer 248 horas de adoração em reparação
- Pelas 248 missas em que as espécies foram roubadas de Pamplona;
- Por esta profanação pública e por todas aquelas que desconhecemos.
_________________________________________

InfoCatólica