Adsense Teste

sábado, 31 de outubro de 2015

Documentário quer expor “hipocrisia” de padres e pastores que pregam contra a homossexualidade


"O Sacerdote, ou é um Santo, ou é um demônio. Ou santifica, ou arruína" 
– São Pio

Enquanto os líderes da Igreja Católica debatiam no Sínodo dos Bispos para defender a família, o inimigo preparava um contra-ataque que pode gerar polêmicas e grande confusão em meio aos cristãos. Trata-se de um documentário para expor líderes religiosos que possuem uma vida homossexual ativa.

O documentário, produzido e dirigido por Dener Giovanini, vai mostrar gravações de 150 religiosos, incluindo pastores protestantes, padres, bispos e seminaristas, praticando sexo virtual com um ator contratado. “O documentário está em fase de finalização e tem data prevista de lançamento mundial daqui a três meses e irá revelar a prática por trás do discurso de ódio contra os homossexuais”, diz o site.

O diretor Dener Giovanini decidiu divulgar o filme nesse momento por conta da realização do Sínodo dos Bispos que está debatendo exatamente os temas família e sexualidade. “Apesar do filme ainda não estar totalmente finalizado, tomei a decisão de falar publicamente sobre ele porque uma das maiores religiões do mundo está definindo agora a forma como conduzirá esse assunto no futuro”, afirma Giovanini.

"Temos umas 500 horas de gravações com centenas de religiosos católicos, evangélicos, protestantes e anglicanos praticando sexo virtual na frente da webcam, assim como os arquivos de suas conversas com o nosso ator nas redes sociais", disse Giovanini.

Os produtores do filme começarão agora a contatar possíveis empresas interessadas a distribuir o filme ao redor do mundo. “Temos consciência do potencial explosivo que temos em mãos. Já fizemos muitas cópias de segurança e inclusive enviamos algumas para fora do Brasil”, afirma o diretor.

Giovanini aponta que espera causar grande repercussão na Igreja Católica, por causa de imagens com religiosos do próprio Vaticano, em cenas que ele classifica como “chocantes”.

Não sabemos se as imagens que irão mostrar no documentário que promete escandalizar muitas pessoas são verdadeiras ou falsas, porém, sendo ou não, de fato, podem causar grandes escândalos, principalmente entre os mais fracos na fé.

Como cristãos, devemos ter em mente que os bispos e padres não falam em seu próprio nome, mas em nome de Cristo. Por isso, ainda que alguém não pratique o evangelho, se a mensagem for de Jesus Cristo, ela sempre irá censurar comportamentos que vão contra a ótica do evangelho, seja o comportamento daquele que anuncia a mensagem que não é sua (cf. Jo 7,16) ou daquele que a escuta. Ainda assim, é importante lembrar que o mensageiro da Palavra é o primeiro ouvinte por isso, ele deve não obstante as falhas, adequar-se à mensagem que anuncia e dar testemunho com a vida, é por isso que o apóstolo diz: “Sede praticantes da Palavra e não meros ouvintes, enganando-vos a vós mesmos” (Tg 1,22).



Como vimos, a intenção do documentário, segundo o próprio diretor, é denunciar a hipocrisia entre o discurso e a prática: “A pesquisa que fizemos nos permitiu perceber que muitos religiosos que têm esse discurso também eram homossexuais. Então decidimos contratar a um ator e inventamos um perfil no Facebook para atrair religiosos”, revelou.

Querem desacreditar o evangelho e o discurso dos religiosos contra a homossexualidade, comparando-o com as suas práticas. Ora, para desacreditar o evangelho, seria necessário desacreditar Jesus Cristo, exemplo perfeito de vida cristã, o que é impossível! A mensagem da Igreja é a mensagem de Jesus Cristo e não deve ser para nós motivo de escândalo o fato de haver no seio da Igreja aqueles que não vivem a sua mensagem, pois assim como entre os Doze havia um traidor que não praticava a mensagem evangélica, mesmo convivendo com Jesus, há também hoje aqueles que não praticam a sua Palavra. São joios em meio ao trigo, colheita essa que só será feita no último dia (cf. Mt 13,30).

“Maldito o homem que confia no homem” (cf. Jr 17,5), diz as Escrituras, a nossa confiança está no Nome do Senhor e não nos homens. É N’Ele que nossa fé está firme, e quem o acusará? É mais fácil afirmar que Jesus é um louco do que dizer que ele não viveu aquilo que pregou. Por isso, irmãos, permaneçamos firmes na mensagem que d’Ele recebemos por meio da Santa Igreja que não se mancha com o pecado dos homens, rezemos pela Igreja, pelo Papa, pelos bispos e sacerdotes, unamos as nossas orações aos santos padres e tenhamos como exemplo a seguir a vida dos santos. As portas do inferno não prevalecerão contra a Igreja edificada “sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas, sendo o próprio Cristo Jesus a principal pedra angular desse alicerce” (Ef 2,20) e que jamais será destruída.


Recentemente, o Papa Francisco lembrou o discurso de Jesus que diz: “Ai do mundo por causa dos escândalos! Não pode deixar de haver escândalos, mas ai daquele por quem vier o escândalo!” (Mt 18,7), pediu perdão “pelos escândalos que foram cometidos nos últimos tempos, seja em Roma ou no Vaticano” e, posteriormente, twittou: “Peçamos a ajuda do Arcanjo Miguel para nos defender das ciladas e armadilhas do demônio”.