Adsense Teste

segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Os gays “nasceram assim”? A maioria dos americanos agora dizem que sim, mas a ciência diz que não.


Pela primeira vez, a maioria dos americanos dizem que os homossexuais “nascem assim.”

De acordo com a última pesquisa Gallup, 51 por cento dos americanos dizem que as pessoas nascem gays ou lésbicas, enquanto apenas 30 por cento dizem que fatores externos, tais como educação e meio ambiente, determinam a orientação sexual.


Peter Sprigg, do Family Research Council, diz que esses numerosos estudos rigorosos de gêmeos idênticos agora tornou impossível argumentar que existe um “gene gay”. Se a homossexualidade fosse inata e predeterminada, quando um gêmeo idêntico é homossexual, o outro deveria ser também.

No entanto, um estudo da Universidade de Yale e Columbia descobriu que a homossexualidade é comum em apenas 6,7 por cento dos gêmeos idênticos do sexo masculino e 5,3 por cento de gêmeos idênticos do sexo feminino.

A baixa taxa de homossexualidade comuns em gêmeos idênticos – cerca de seis por cento – é facilmente explicada pela criação, não pela natureza.

Os pesquisadores Peter Bearman e Hannah Brueckner concluíram que o ambiente foi o fator determinante. Eles rejeitaram abertamente “a influência genética independente do contexto social” como a razão para a homossexualidade. “Nossos resultados apóiam a hipótese de que menos socialização de gênero na primeira infância e pré-adolescência formam preferências românticas subsequentes do mesmo.”

“Menos socialização de gênero” significa um rapaz estava sem uma figura paterna positiva, ou uma garota sem uma figura materna positiva.

À luz dos elementos de prova, Sprigg, disse simplesmente: “Ninguém nasce gay.” 

Os psiquiatras William Byne e Bruce Parsons resumem a ciência: “A revisão crítica mostra a evidência favorecendo que falta uma teoria biológica… Na verdade, a tendência atual pode ser subestimar o poder explicativo dos modelos psicossociais existentes”. Em outras palavras, a homossexualidade é uma doença psicológica, e não algo que as pessoas nascem com ela.

Alguns homossexuais admitem abertamente que seu estilo de vida é uma escolha. Lindsay Miller, que se descreve como uma “mulher estranha”, queixou-se no Atlantic, “eu fico frustrada com a condescendência velada de pessoas heterossexuais que acreditam que bichas ‘não podem ser ajudadas’, e, portanto, devem ser tratadas com tolerância e compaixão”.

“Eu não nasci assim”, escreveu ela. “A vida que eu tenho agora não é algo a que cheguei porque eu não tinha outras opções. Não se engane – é uma vida que eu escolhi”.
“É hora de enviar o mito do ‘nasceram assim’ para o cemitério das idéias ilegítimas, enterrado no terreno ao lado do mito de que o sol gira em torno da terra”, disse Bryan Fischer, da Associação da Família Americana por escrito.

E, no entanto, o mito continua a ganhar os crentes, mesmo entre os conservadores. De acordo com a nova pesquisa do Gallup, os republicanos estão divididos sobre se os americanos nascem homossexuais (40 por cento) ou se a orientação homossexual é determinada por fatores ambientais (36 por cento).

Em pesquisas anteriores, a maioria dos republicanos disseram que a homossexualidade não é inata. Agora, de acordo com esta pesquisa, eles estão igualmente propensos a ver a orientação sexual como inerente, ao invés de uma escolha ou uma conseqüência de como as pessoas foram ambientadas. Ao todo, 62 por cento dos democratas acreditam que os homossexuais nasceram assim.

O problema afeta políticos republicanos que, como todos os políticos, baseiam suas declarações públicas sobre as eleições. O candidato presidencial Dr. Ben Carson recentemente pediu desculpas por apenas sugerir que as pessoas escolhem ser gays ou lésbicas. O senador Marco Rubio disse que, enquanto ele não suporta o “casamento” do mesmo sexo, ele acredita que as pessoas nascem gays ou lésbicas.

Fischer diz que a nossa sociedade e, particularmente, os nossos candidatos presidenciais, devem fazer política baseada na realidade médica e científica, não nas urnas. “Se o comportamento homossexual é uma escolha, então a nossa política pública pode livremente ser moldada por um olhar honesto sobre se esta escolha comportamental é saudável e deve ser incentivada, ou insalubre e perigosa e, consequentemente, desestimulada”, escreveu ele.

Não há debate sobre as ameaças para a saúde colocadas por engajar-se em estilo de vida homossexual. Fischer observa que a Gay and Lesbian Medical Association admite que os homossexuais estão em maior risco de AIDS, substância e abuso de álcool, depressão e ansiedade, hepatite, doenças sexualmente transmissíveis, e de próstata e câncer de cólon.

“Este é um comportamento que nenhuma sociedade racional deveria tolerar, endossar, subsidiar, recompensar, promover ou sancionar na política doméstica ou no mercado”, escreveu Fischer.” É uma escolha, e uma má escolha”.

A pesquisa Gallup, feita em 6-10 maio, também relata uma nova alta recorde de americanos que apoiam “casamento” de pessoas do mesmo sexo.

A pesquisa baseia-se em entrevistas por telefone com uma amostra aleatória de 1.024 adultos, com idades entre 18 e mais, que vivem nos Estados Unidos. A organização diz que a sua margem de erro é de ± 4 pontos percentuais no nível de confiança de 95 por cento.
_________________________________ 

Disponível em: Logos Apologética Cristã
Tradução: Emerson de Oliveira