Adsense Teste

sábado, 8 de agosto de 2015

China: quatro sacerdotes da "Igreja clandestina" foram presos e estão sem comida e sem água


Ainda no calor do que parecia ser um gesto de beneficência das relações entre o governo chinês e a Igreja Católica - a ordenação episcopal do Bispo de Anyang com a aprovação papal -, chega uma triste notícia de Pequim.

Quatro sacerdotes da comunidade subterrânea de Heze, na diocese de Caozhou, em Shandong, leste do país, foram presos durante a noite do 3 de agosto em Luquan (condado de Dongming), durante um retiro espiritual para o clero. Trata-se de: Pe.  Wang Chengli, administrador da diocese, 48; pe. Zhao Wuji, na casa dos cinquenta; pe. Li Xianyang, 34; Sun Guichun, 38 anos.

Como informa a agência Asia News, membros da segurança pública escalaram os muros da casa, dizendo que estava procurando "bandidos", e assim prenderam os quatro sacerdotes, que estavam dormindo. Agora estão detidos na prisão de Dongming.

Algumas fontes locais disseram à agência que a polícia proibiu qualquer pessoa de visitá-los, negando-lhes comida e água durante dois dias para forçá-los a assinar a adesão à Associação Patriótica. Mas os sacerdotes, até agora se recusam a assinar. 

As mesmas fontes afirmam que membros da polícia estão reunindo materiais para acusá-los, levando as pessoas com pressões e manipulações a denunciar os quatro sacerdotes. A comunidade tem tentado dialogar com a polícia para libertar os quatro detidos e souberam que os sacerdotes foram interrogados pela segurança nacional, civil e pelos membros do Departamento para os Assuntos Religiosos.

Os católicos da comunidade clandestina na China enviaram uma mensagem pedindo à Igreja universal para orar e ajudar na libertação dos sacerdotes, para que “possam continuar a aderir à verdade e dar testemunho da fé”.
______________________________

ZENIT